Indicações Podcastais #5 – Radiofobia Classics

Este podcast não é novo, nem desconhecido, mas é feito com tanto amor e carinho, que vale e sempre valerá a indicação.
E eu falo do Radiofobia Classics, do meu querido amigo Leo Lopes. A primeira vez que ouvi o programa tive uma surpresa incrível, um programa maravilhoso, extremamente bem editado.

Um programa igual os programas de rádio que eu ouvia na madrugada. O programa que ouvi foi literalmente uma biografia completa de uma banda que sou fã, os Ramones.

Foram 30 músicas escolhidas a dedo, intercaladas com informações excelentes sobre a banda. Que roteiro bem escrito, que pesquisas bem feitas!

Além do episódio dos Ramones, também indico o Johnny Cash e Cássia Eller

Conheça o Radiofobia Classics (e os outros podcasts do grupo Radiofobia!)
Twitter @rfobiaclassics
Facebook www.facebook.com/radiofobiaclassics/

E se você quer indicar um podcast para eu ouvir, deixe aí nos comentários! :)

Quanto tempo tem?

Outro dia fiz alguns tuítes (segue lá @guilhermeafonso) falando sobre “a duração do podcast” e fui bombardeado por pessoas que diziam “podcast só é bom se tiver mais de uma hora”.
Fiquei intrigado e me perguntando, ué, por que isso?!

A gente sabe que o podcast nunca atingiu o grande público, sempre foi uma mídia nichada, sinônimo de podcast era o Nerdcast, com seu nerdpower e só.  Não que isso seja ruim. Muito pelo contrário. O Nerdcast tem méritos infinitos. São parte importantíssima na criação da podosfera.
Porém, eles trouxeram um padrão para quem começou a fazer podcast influenciado por eles. Um papo descontraído sobre algum assunto, semanal, começo com frase dos participantes, leitura de emails, termina com uma piada e no mínimo uma hora de duração. De maneira nenhuma eu acho errado esse padrão criado. Eu só acho que está saturado. O podcast brasileiro é basicamente isso.

E, pensando principalmente em tempo, é um erro achar que um bom podcast tem que ter mais de 1 hora.

“Se não tiver no mínimo 1 hora eu nem baixo”.

Esse tipo de pensamento é comum. Ouvi muita gente me dar os mais diversos argumentos, entre eles, um me chamou muito atenção.
Um rapaz me respondeu que o episódio tem que ter esse tempo pq é o tempo que ele leva de ônibus, de casa pro trabalho. Bom, eu acho que tem um ponto aí né. E então eu devolvi de uma forma simples: Em uma hora, você consegue ouvir dois podcasts de 30 minutos. E ele não soube me responder. E por incrível que pareça, dá!

Mas aí entra um outro problema, por conta desse “padrão” criado, os novos podcasters continuam fazendo programas nesse padrão. O que afasta novos ouvintes. Ninguém vai querer, logo de cara, encarar 1 hora de programa.

Então precisamos rever isso. Primeiro que não tem regra pra fazer podcast. Então parem de propagar a ideia que podcast bom é podcast longo! E você que quer começar a produzir um podcast, não tenha medo de fazer algo com 10 minutos, 30 minutos ou 3 horas. Você que decide. O importante é fazer um tempo de acordo com seu conteúdo.

Indicações Podcastais #4 – Nexo

Como eu imaginei que ia acontecer: falhei!!²
Obvio que fazer um plano desse de postar 2 indicações por semana de podcast, pra alguém que não consegue se organizar jamais daria certo. Mas vez ou outra quando eu lembrar vou postar.

A indicação que faço hoje é de um podcast de certa forma antigo, porém que continua muito ativo. Falo do Nexo Podcast. Nexo é um “jornal digital para quem busca explicações precisas e interpretações equilibradas sobre os principais fatos do Brasil e do mundo”, no podcast eles falam sobre vários assuntos. Mas o que mais me chama a atenção é o quadro Politiquês, um quadro do podcast para falar sobre politica. Apresentado por Conrado Corsalette, os episódios tem em média 30 minutos e muito bem produzidos.

Ouvi alguns episódios do Politiques e os que eu mais gostei foram os episódios com entrevista com os pré-candidatos: Ciro Gomes e Manuela d’Ávila, entrevistas francas e boas. Sempre acompanhadas de boas trilhas sonoras.

Conheça o Nexo Jornal e ouça o Politiquês
Twitter @nexojornal
Facebook www.facebook.com/nexojornal

E se você quer indicar um podcast para eu ouvir, deixe aí nos comentários! :)

Dia Internacional da Mulher – #OPodcastÉDelas2018

Hoje, dia 8 de março, é o Dia Internacional da Mulher, um dia de luta, de conscientização e principalmente respeito às mulheres.
Mas também é dia que devemos homenagear mulheres fodas. Por isso, escolhi alguns podcasts feito por mulheres, que merecem ser ouvidos sempre!

Anna Sale, do podcast Death, Sex and Money

Ponto G

“Somos um programa feito por mulheres, para todos os gêneros; um podcast sobre mulheres que marcaram a história.”
Um podcast que fala sobre mulheres na história, sempre de uma forma muito didática e divertida!
Ouça e assine: http://www.mundofreak.com.br/categoria/podcast/ponto-g/

As Mathildas
“Podcast para falar sobre a perspectiva da mulher no audiovisual. Apresentado por Iole Melo e Grecia Baffa.”
As Mathildas falam da perspectiva da mulher sobre o audiovisual de maneira objetiva, divertida, além de trazer entrevistas com mulheres sobre os mais diversos assuntos!
Ouça e assine: https://cinemacao.com/category/podcast/as-mathildas/

NBA das Mina
“Um podcast feito por garotas, sobre o que mais gostamos: NBA”
Um podcast quinzenal que fala do mundo do basquete americano de forma apaixonada e comprometida. O programa traz debates sobre os jogos, times e vários outros assuntos.
Ouça e assine: http://www.central3.com.br/category/podcasts/nba-das-mina/

Feito por Elas
“Página para divulgar e discutir o cinema realizado por mulheres. Podcast quinzenal sobre cineastas”
Comandado por Angélica Hellish e Isabel Wittmann, valoriza e discute filmes e obras de cineastas mulheres cujos fantásticos trabalhos são tantas vezes ignorados pelo público em geral.
Ouça e assine: http://anticast.com.br/podcast/feitoporelas/

Baseado em Fatos Surreais
“Histórias de mulheres como nós compartilhadas com empatia, intimidade e leveza. Onde o assunto é a VIDA e o detalhe o SURREAL”
Um podcast de storytelling feito por mulheres. Contam histórias de outras mulheres em primeira pessoa. Histórias reais, de modo surreal
Ouça e assine: http://www.bfsurreais.com.br/

Mamilos
“As polêmicas da semana discutidas com inteligência, empatia, tolerância e bom humor”
O Mamilos – Jornalismo de peito aberto, é um podcast semanal que busca nas redes sociais os temas mais debatidos e traz para mesa um aprofundamento do assunto com empatia, respeito, bom humor e tolerância. Com Juliana Wallauer e Cris Bartis.
Ouça e assine: http://www.b9.com.br/podcasts/mamilos/


Café com a Organizer
“Café com a organizer: organização, bem estar e qualidade de vida”
Um podcast apresentado por Ana Afonso (sim, minha mãe) que fala sobre rotina e organização pessoal
Ouça e assine: http://anaafonso.com.br/podcast/

 

Esses são apenas alguns podcasts que eu conheço que são feito sobre mulher. Óbvio que existem outros que não estão nesta lista. Então aproveite e coloque nos comentários quais podcasts feito por mulheres você ouve e gosta.

Indicações Podcastais #3 – O Contador de Histórias

Como eu imaginei que ia acontecer: falhei!!
Mas só falhei em escrever o post, pq podcasts eu continuo ouvindo.

Desde que comecei a pesquisar coisas pra criar o 1986 (meu podcast de áudio-drama), eu entrei num mundo de podcasts de storytelling, áudio-drama, porém, todos em inglês. Até que um dia eu cheguei num podcast chamado “O Contador de Histórias“.

Um podcast incrível, extremamente bem editado, roteiros muito bem escritos e ótimos atores, como por exemplo o excelente Nelson Machado.
O programa tem várias histórias diferentes, algumas séries como “Dias Digitais“, uma história que fala sobre hackers e um governo distópico. É bem foda.

Mas o episódio que eu mais gostei é o “Mortes ao som de Jazz“, a história de uma investigação de um serial killer. Que episódio foda!!!

Conheça o Contador de Histórias e entre nesse mundo mágico dos áudio-dramas!
Twitter @CDHCast
Facebook www.facebook.com/podcastcontadordehistorias

E se você quer indicar um podcast para eu ouvir, deixe aí nos comentários! :)

Indicações Podcastais #2 – Música pra Viagem

Continuando nossa série das indicações de podcasts, trago hoje uma indicação que me mandaram no twitter, o Música pra Viagem.

Feito no formato padrão de conversa de bar, o Música pra Viagem junta 5 pessoas que trabalham com música e gostam de música.

Apesar de ter leitura de emails no início do episódio (coisa que eu não gosto – não condeno, só não gosto), o programa é muito bem editado e pela qualidade do papo, desde o começo você percebe que os participantes realmente entendem de música.

Ouvi  2 episódios, o EP#4 – As bandas de um tema só e o Ep #9 – A contribuição negra na música popular.

O EP #4 é bem interessante, a conversa gira em torno de bandas que criam músicas monotemáticas. Um dos participantes do podcast é produtor musical e traz um conhecimento dos ‘bastidores’ da música. Isso dá uma visão bem diferente do que estamos acostumados.

Já o EP #9, que fala sobre a influencia da cultura negra na MPB, é um trabalho incrivelmente fantástico! Um trabalho de pesquisa muito bem feito e um papo extremamente descontraído, que além de me informar me divertiu.

Algo que eu achei muito legal, é a descrição do post que você encontra a lista de todas as músicas usadas na trilha do podcast.

Conheça o site Música pra Viagem que além do podcast, também tem muito conteúdo musical e assine no seu agregador o Música pra viagem.
Instagram @musicapraviagem
Twitter @podcastMPV

E se você quer indicar um podcast para eu ouvir, deixe aí nos comentários! :)

Indicações Podcastais #1 – QuestCast

No primeiro dia deste novo ano eu tive a ideia de um projeto, que chamaria “Um podcast por dia“.

A ideia era ouvir um episódio de um podcast e escrever um pouco sobre ele. Pontos fortes e fracos e tal. Cada dia um podcast diferente. Famoso ou não. Com o intuito de divulgar cada vez mais essa mídia.
Porém, como me falaram no twitter, a chance de eu falhar ou não estar com saco de ouvir um podcast e escrever sobre todos os dias é bem grande. Afinal, não ia ser sempre que eu ia conseguir ouvir o episódio com total atenção e fazer a resenha.

Então mudei um pouco a ideia e vou fazer duas vezes por semana. Toda segunda e quarta.
Assim terei mais tempo para ouvir o episódio e quem sabe até ouvir mais de um episódio do podcast e ter uma opinião melhor fundamentada.

Não que eu vá fazer grandes análises sobre o podcast ou o episódio. O que eu quero é aguçar a curiosidade de você que está lendo esse texto.

Então vamos lá!


O primeiro podcast dessa série é o QuestCast, que pode ser ouvido em http://questcast.com.br/

Um podcast de gameplay de RPG, aventuras sonorizadas e bem desenvolvidas!
Eles já tem uma aventura finalizada, chamada “A revolução do povo“, uma história medieval e com todos os “clichês” de um bom RPG.
E o episódio que ouvi e deixo indicado aqui é o primeiro da nova aventura, “A Missão – Verden“.

Os jogadores são bem engraçados e a aventura corre de forma bem descontraída. Um ponto negativo (que não interfere mas, pra mim, incomoda um pouco) é a qualidade do áudio de alguns participantes, que vez ou outra fica meio difícil de ouvir. Mas nada que atrapalhe a experiência.

Conheça o QuestCast e acompanhe essa nova aventura!
Facebook/castquest
Instagram @quest_cast
Twitter @questcastbr

E se você quer indicar um podcast para eu ouvir, deixe aí nos comentários! :)

Podcasts e seus formatos

Um dia, lá em 2007 eu estava conversando com um amigo do trabalho sobre investimento, educação financeira, poupança e economia, essas coisas de quando você vira adulto. Esse amigo me indicou um livro chamado “Pai Rico, Pai Pobre“, e obviamente eu fui pesquisar. Quando pesquisei pra poder comprar, um dos resultados foi “Nerd Rico, Nerd Pobre – NerdCast“.

Não fazia ideia que site era aquele, muito menos que aquilo era um podcast. Foi aí que baixei o .zip (não podia baixar .mp3 no trabalho) e coloquei pra tocar. No começo não entendi muito bem, por que um cara gritou LAMBDA LAMBDA LAMBDA NERD, as apresentações e a leitura de email. Percebi que era como se fosse um programa de rádio e ouvi tudo. No mesmo dia baixei os episódios anteriores, afinal já tinha ouvido spoilers deles nos emails.

Comecei a acompanhar semanalmente e toda sexta-feira minha alegria era baixar o Nerdcast (não sabia nem que chamava podcast) e conversar com outros amigos do trabalho que introduzi nesse mundo. Os episódios foram passando, eu passava algum tempo sem ouvir alguns, depois maratonava, e fui descobrindo que existiam outros programas como aquele. E assim fui entrando nessa mídia cada vez mais. Hoje o podcast faz parte da minha vida. Posso dizer que sou um podcaster e sou muito feliz com isso.

Em 2012 o Nerdcast lançou o áudio-drama T-zombie. Foi aí que eu pensei: “Seria foda ter um podcast todo assim hein“, e fiquei com isso na cabeça. Até conhecer o Anticast e com ele o Projeto Humanos. Foi aí que percebi que podcast não precisava ser o “formato Jovem Nerd”. O áudio podia ser o que eu quisesse. Podcast é só a forma de entregar o conteúdo. Assim como existe, no youtube, canais de gameplay, canais de esquete, canais de reaction, o podcast não precisava ser 4 pessoas contando histórias da vida durante 1 hora. Foi assim que conheci novos formatos de podcast. Foi assim que surgiu meu podcast de storytelling, o 1986. Essa vontade de fazer algo diferente.

Mas talvez pra você, ouvinte (ou produtor) de podcast, deve ser estranho ouvir isso: “mas como assim não é só o formato Jovem Nerd?” Claro que eles formataram o podcast nacional, e sem dúvidas são os grandes players dessa mídia. Mas podemos e devemos ter versões e formatos diferentes. Aqui destaco alguns que tenho mais intimidade.

Bate Papo

Esse é o formato mais conhecido, e antes que pareça, não sou contra ou algo assim, gosto bastante, tenho até amigos que são! Esses programas são bater papos com amigos sobre algo de se entende ou gosta. Não necessariamente tem que ser algo engraçado ou descontraído. Jovem Nerd, 99 vidas, Não Ouvo, Braincast, Treta Talks, GugaCast, entre outros tem essa pegada “humorística”. O Rebobinando fala de cultura pop de uma maneira diferente do habitual, outro excelente podcast também nesse formato, mas trata de assuntos sérios é o Mamilos.  Entram também nesse formato podcasts como o Xadrez Verbal, que fala sobre política internacional, notícias e acontecimentos do mundo.

Storytelling

Aqui entra uma série de podcasts diferentes. O storytelling é uma forma de roteiro, um estilo de escrita, muito usado em jornalismo, cronicas, etc. Um podcast storytelling você vai ouvir (ou contar) uma história. O storytelling pode ser jornalistico, como é o Projeto Humanos. Pode ser um audio-drama, como é o 1986 e o Welcome to Night Vale. Ou apenas alguém falando sobre, como é o Abertura Total.

Educacional

Podcasts Educacionais podem ser tanto um complemento de aula ou aulas e cursos inteiros. Existem vários programas de Podcasts de EaD (ensino à distância), podem ser muito explorados, qualquer aula que não exija muita informação visual é capaz de ser transformada em podcast. Existem vários podcasts de cursos de idiomas, cursos de economia entre vários outros temas.

Programas de Rádio

Esse formato é meio controverso na podosfera, algumas rádios extraem trechos de programas e distribuem como podcast. Algumas pessoas acham que não é podcast, porque não foi pensado como podcast. Se a gente for pela semântica da palavra, podcast é qualquer arquivo de áudio transmitido por um feed, então programas de rádio também podem ser podcasts.
De certa forma, podemos encaixar aqui também, podcasts que parecem ser programas de rádio, como o Travessia, que fala sobre música brasileira e toca essas músicas, e o Loop Matinal, que traz diariamente notícias do mundo da tecnologia.

Óbvio que existem outros formatos, essa lista não é definitiva nem regra.
O importante é que você que quer produzir um podcast conheça os formatos e ache o formato que mais te agrade! E você que é um ouvinte, incentive novos formatos, divulgue e conheça esses podcasts que tentam fugir do padrão!